terça-feira, 8 de junho de 2010

Minha ação


Arte: Zephyrus transforming the nymph Chloris into Flora - Sandro Botticelli


Eu não vim para atirar em você
Nenhum jogo perdido de palavras;
Queria te salvar da sua visão
E não permitir que desmorone
Em sua construção falsamente concreta
De estrutura fundada em elogios alheios.

Não vou partir da minha ira,
Como um dia desses...
Saltando os pensamentos
Sem com eles gerar nem mesmo uma ideia;
Trago os sentidos de nós em confronto
E em sinal de calma não faço alusão ao seu nome.

Saber do meu coração
É o mínimo possível não exigido
Que eu também não atingi,
Não pelo menos de tão perto o suficiente;
Porém não vou fugir como disse,
Voando por cima de pedaços exauridos de fotografia.

Vou continuar n’um abraço bonito...
Só para não puir os bons fluidos de seu aperto
E ao exercer o princípio da primeira ruptura
Eu me traio!
Só para rir de mim mesmo
E gozar novamente um decisivo enlace.

2 comentários: