segunda-feira, 14 de maio de 2012

Namoro psicológico

Incontáveis pulsos de saudade
extravasam o quarto,
Somem pela vizinhança.
Enquanto sorvo a solidão pela noite,
Ludibrio-me em crer que há
distração possível
Ou diversão convincente.
Tão longe de ceder à exaustão,
Abraço-te no vazio
E o estranho no espelho
Fulgura-me com resoluto riso.
Um intrincado de emoções
desloca a realidade mais compressiva:
adormeço convictamente enamorado...
Desperto esquecido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário